JORNAL EMOCIONAL (PARTE 2)

 

JORNAL EMOCIONAL PARTE DOIS

Ele escreve o primeiro nome, e lê mais uma vez…

Discutir a relação não é o meu forte. Você bem sabe: foram precisos dois meses pra digerir sua carta aberta com nosso amor no jornal. Tenho direito (ou seria dever?) à resposta, mas a verdade é que apesar de não ser certo presidente, não sei nada quando o assunto somos nós.

Confesso minhas defesas bizarras. Fiz do caminho uma planilha onde aparecem as tais prioridades pra tocar a vida, minha cara, meu amor, minha amiga. É o que procuro fazer entre a ginástica e os mil compromissos de quem trabalha em televisão. Você casou sabendo que não haveria fim de semana garantido. Nem dia santo.

Entretanto está coberta de razão: casamento complicado. E estamos, neste barco, conscientes de que o amor não garante a viagem. Não vamos mais a lugar algum. A paisagem não muda, nem nossos problemas. Essa mesmice poderia ser reconfortante como uma agenda segura que, enfim, indica a hora de voltar pra casa. Olho o relógio. Há anos não chego cedo.

Tanto tempo que não temos tempo. Ainda que soe piegas, não estou pronto pra dizer adeus, enquanto você não parece disposta a esperar. E agora? O que faço deste bilhete rabiscado com palavras perdidas?

Poderia jurar ter escutado tua voz rouca:

— Envie para o jornal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s